A Santa Cruz seta Reportagem

Reportagem

Santa Cruz promete novidades no Grupo A:

Fonte: O Globo - 22/01/2008

Na Acadêmicos de Santa Cruz, que desfilará sábado no grupo de acesso A, o clima ainda é de trabalho intenso. Segundo o presidente da escola, conhecido como Zezo, a dedicação não é só para aprontar tudo a tempo:

- Estamos fazendo um carnaval no nível de uma escola de Grupo Especial, com acabamento especial. Para isso, contamos com a parceria da Beija-Flor de Nilópolis.

Além do apoio da escola da Baixada, a agremiação teve este ano o auxílio de uma equipe do Festival de Parintins, tradicional no Amazonas, para a confecção de alegorias com movimento.

Mas a grande inovação estará nas fantasias da comissão de frente e do primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira - ainda mantidas em segredo - confeccionadas com um novo material natural que tem o efeito de fibra.

- As fantasias deles serão de um material nunca usado para mestre-sala e porta-bandeira. É muito diferente das plumas e dos paetês, comuns nessas roupas - adianta Zezo.

Além das roupas, o casal encarregado de desfilar com o estandarte da verde-e-branco de Santa Cruz terá maior destaque na entrada na Avenida: ele estará logo depois da comissão de frente, dando unidade à escola, por estarem como o mesmo tipo de fantasia.

Sábado tem Acadêmicos de Santa Cruz:

Fonte: O Globo - Zona Oeste - 27/01/2008

A estréia das escolas da região no carnaval 2008 será sábado com o desfile da Acadêmicos de Santa Cruz pelo grupo de acesso A, na Marquês de Sapucaí. Este ano a verde-e-branco que defende o enredo “Da abertura dos portos à cidade do porto, Itaguaí – uma história real”, busca uma vaga no Grupo Especial. Em 2007, ela chegou perto: ficou com a terceira colocação.

Em ensaio técnico da agremiação, realizado no Sambódromo, uma componente em especial chamou a atenção dos espectadores, levantando a torcida: Renata Santos, a rainha da bateria.

A moça é cria do bairro. Nasceu e morou em Santa Cruz até dois anos atrás, quando se mudou pra ficar mais perto de suas atividades como atriz e modelo.

Mas, quando se aproxima o carnaval, ela é presença assídua na quadra da escola, quando reina majestosa à frente dos ritmistas há nove anos. Renata conta como chegou para ela o posto de soberana:

_Minha estréia em quadra e avenida foi com a Santa Cruz. Eu caí de pára-quedas. Assumi a três semanas do carnaval porque a titular viajou às pressas.

O mais importante para uma boa preparação para o desfile, na opinião dela, são os ensaios na quadra.

Todas as quintas e sábados ela exercita muito samba no pé, e aproveita pra criar passos e movimentos para o desfile.

_ A cada ano, vou melhorando a evolução. Nos ensaios sambo direto. A criação vai chegando e se transformando no que vou mostrar ao público _ comenta Renata.

Este ano, as fantasias dela e dos ritmistas representarão os Dragões da Independência. Sobre seu traje a rainha faz mistério.

_É uma roupa linda e comportada, não mostra nada demais. _ garante Renata.

Além dela, outros destaques da Santa Cruz serão as fantasias da comissão de frente e do casal de mestre-sala e porta-bandeira, confeccionadas com um material natural que tem efeito de fibra.

Acadêmicos de Santa Cruz apresentou seu samba no pé em Itaguaí:

Fonte: Jornal Impacto - 16/01/2008

Apresentação da Verde e Branco parou o centro da cidade neste último domingo quando deu demonstração de como será seu desfile na Marquês de Sapucaí.

No último Domingo, dia 6, a Acadêmicos de Santa Cruz foi responsável em elevar a temperatura no Centro de Itaguaí que ferveu ao som da Bateria nota DEZ da Verde Branco da Zona Oeste . É que a Escola de Samba da Zona Oeste, que este ano canta belo enredo em homenagem a Itaguaí, evoluiu com destreza sacudindo a poeira para dar a volta por cima como forma de cartão de visitas de seu Carnaval 2008. Fora uma espécie de Abre-Alas do que a Escola levará este ano para a Marquês de Sapucaí, quando poderá conquistar uma posição entre as melhores escolas do Grupo de Acesso que passam a garantir lugar no desfile do Grupo Especial do ano seguinte,  quando mais uma vez escolheu o chão de  Itaguaí como palco de gala para ver a possível ascensão da Acadêmicos de Santa Cruz.

A apresentação, como tinha sido prometido, matou um pouco as saudades do Carnaval sadio que se brinca em Itaguaí, agitando a cidade no período momesco, com os principais componentes da Verde e Branco: Ritmistas, Passistas, Mestre-Sala e Porta-Bandeira, ala das Baianas e um sem número de integrantes que mostraram com muito samba de raiz a essência da grande arte do sambar com muito “samba no pé”.
Numa overdose de alegria, milhares de pessoas sambaram no ritmo quente da Santa Cruz.
A grande apresentação valeu de introdução pré-carnavalesca em nossas terras.

Por dentro dos barracões: Veja como será o desfile da Santa Cruz:

Fonte: SRZD Carnavalesco - 30/01/08

“Da abertura dos portos à cidade do porto. Itaguaí uma história real”. O enredo da Acadêmicos de Santa Cruz, do Grupo de Avesso A, é uma mistura da chegada da família real portuguesa ao Brasil com a história de Itaguaí, município fluminense. A comissão de carnaval responsável pelo desfile tem Fran Sergio, Rosely Nicolau e Munir Nicolau. Fran Sergio é o responsável pelo desenvolvimento do tema em fantasias e alegorias. Ele também integra a comissão da Beija-Flor e topou conversar com o SRZD – Carnavalesco sobre o carnaval da Verde e Branca.

- Divido o enredo em dois momentos. A gente cita a majestosa família real, do início ao meio, depois disso contamos a história de Itaguaí, que era o Caminho das Pedras que passava por lá e dava acesso à Minas Gerais. Os portugueses se encantaram com aquela região e se instalavam em uma fazenda por lá. Lembramos também o progresso que a Família Real trouxe, como o conhecimento, o glamour e a implantação do Jardim Botânico. O Brasil passou de colônia a sede do Império, isso foi o ponta pé do país. Tem a abertura dos portos também. Com tudo isso Itaguaí cresceu também. Hoje o porto de lá exporta vários tipos de produto. É a ligação do Brasil com o todo o mundo. A união da família real com Itaguaí deu samba. Ficou bem legal a amarração do tema – explica o artista.

Com a proposta de levar para a Marquês de Sapucaí carros alegóricos grandes, a Santa Cruz espera somar pontos valiosos para retornar ao Grupo Especial. Este ano, a agremiação da Zona Oeste é uma das que conta com mais recursos. São R$ 500 mil da prefeitura do Rio de Janeiro, já que a escola aborda em seu enredo a chegada da corte lusitana em 1808, além de uma colaboração do município de Itaguaí.

De acordo com Fran Sergio, a experiência de trabalhar no Grupo A é completamente diferente do Grupo Especial.

- É um grupo diferente do Especial, mais descontraído e leve. É legal poder ajudar o Grupo de Acesso, que cresceu muito graças às escolas que já estiveram na elite. É preciso que todos colaborem, pois o dinheiro é pouco, e por isso o patrocínio é fundamental. Qualquer dinheiro que entra soma. Isso deveria acontecer sempre, porque cresce o carnaval – diz.

Integrar mais uma comissão de carnaval para ele tem sido tranqüilo. O fato de já conhecer o estilo de trabalho dos colegas facilita o processo.

- A gente se comunica sempre e nos damos bem, então o trabalho flui legal. A escola é muito organizada e o presidente (Zezo) faz de tudo pela agremiação – elogia.

Confira como será o desfile da Santa Cruz:

Comissão de frente: “As tormentas do mar” – Através das correntes marítimas, a família real portuguesa chega até o Brasil;

Primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira: “As tormentas do mar” – Ainda no mar, a Santa Cruz conta os acasos e tensões enfrentados pelos lusitanos;

Abertura: “As tormentas do mar” – Representa os perigos que a família real passou durante a viagem ao Brasil;

Abre-alas: “Caravela dos sonhos” - Através do mar, a família real chega ao Brasil com a opulência da Europa.

A alegoria é uma grande caravela, onde os portugueses trazem seus sonhos para uma terra desconhecida;

Segundo setor: “A corte no Brasil” – Lembra a estadia da corte portuguesa no país e as nações amigas;

Segundo carro: “Corte tropical” – Retrata a corte lusitana em terras tupiniquins, promovendo festas com glamour, bailes de muito requinte e suas elegantes carruagens;

Bateria: “Dragões da Independência” – Responsáveis pelo acompanhamento da corte;

Terceiro setor: “A Fazenda de Itaguaí” – Fantasias em alusão a exuberância da região de Itaguaí;

Baianas: Representam as vegetações e a beleza local;

Terceiro carro: “A Fazenda de Itaguaí” – Relembra a produtiva vila de laranja, café e outros produtos tropicais;

Quarto setor: “As indústrias de Itaguaí” – Retrata o progresso que os portugueses levaram para a região em 1808, como a implantação da primeira biblioteca por lá;

Quarto carro: “As indústrias de Itaguaí” – Após a abertura dos portos, o progresso começa a crescer. Com isso surgem as primeiras indústrias na região. Dois fuscas são usados na decoração deste carro;

Quinto setor: “O Porto de Itaguaí” – Cita as festas típicas de Itaguaí como os carnavais locais;

Quinto carro: “O Porto de Itaguaí” – O carro que fecha o desfile retrata o local que é a ligação do Brasil com o mundo. A alegoria é um grande globo terrestre em que todos os produtos de todos os tipos são exportados para todo o mundo.

Santa Cruz canta as belezas de Itaguaí:

Fonte: Jornal Extra - 01/02/2008

Das quatro escolas que falam sobre a chegada da Família Real, a Santa Cruz foi a única que associou o auxílio da Prefeitura ao patrocínio de uma cidade fluminense: Itaguaí.

- Conseguimos juntar um enredo que tem a ver com a escola com um apoio que hoje em dia é mais do que necessário - afirmou o presidente Moisés Coutinho, o Zezo.

O primeiro momento do enredo "Da abertura dos portos à cidade do Porto, Itaguaí - uma história real" fará alusão à fuga da Família Real rumo ao Brasil. A relação com a Verde-e-branco é mostrada no segundo setor, quando será mostrada a Casa de Santa Cruz, onde realizava festejos dançantes e saraus, além de passear pelas aldeias das cercanias. Dentre estas aldeias estava o lugar que futuramente seria batizada de Itaguaí.

- Foi aí que Itaguaí passou a ser um centros mais importantes do Rio daquele tempo, já que a Corte a adotou com um de seus recantos - disse o carnavalesco Munir Nicolau Jorge.

" A cana-de-açúcar foi uma das principais fontes da economia de Itaguaí ".

Acadêmicos de Santa Cruz conta a história de Itaguaí:

Fonte: JB Online - 03/02/2008

"Da Abertura dos Portos à Cidade do Porto, Itaguaí Uma História Real" é o enredo da comissão de carnaval formada por Fran Sergio, Ricardo Denis e Rosele Nicolau e que a Acadêmicos de Santa Cruz defende na Marquês de Sapucaí.

A escola entra na passarela do samba mostrando luxo e boa evolução, com destaque para a comissão-de-frente, de responsabilidade do coreógrafo Carlinhos Muvuca.

A agremiação vem com 2500 componentes, divididos em 23 alas. A bateria tem tem 220 ritmistas e a rainha é Renata Santos.

Estácio, Ilha, Santa Cruz e Império Serrano no páreo:

Fonte: Setor 1 - 03/02/08

(...) Santa Cruz:

O samba valente, embalado pelo intérprete David do Pandeiro, colaborou e muito para que a Santa Cruz fizesse um desfile tecnicamente muito bom. David, aliás, chegou um pouco atrasado. Mas o fato é que a comunidade cantou bastante o samba. A escola surpreendeu com a fantasia volumosa e criativa do casal Cintia e Eduardo Bello. O principal destaque da 2ª alegoria, Luis Carlos, sentiu-se mal, teve que tirar o esplendor, mas tudo felizmente aconteceu longe dos olhares dos jurados, o que, do contrário, poderia tirar pontos da escola no quesito alegoria. À frente dos dragões da independência, a rainha Renata Santos. Por falar em bateria, Mestre Marcão (Salgueiro) ajudou a coordenar a entrada para o box, o que foi um problema pra Santa Cruz no carnaval passado. (...)

Santa Cruz faz desfile luxuoso e competente:

Fonte: JB Online - 03/02/2008

Defendendo o enredo "Da Abertura dos Portos à Cidade do Porto, Itaguaí Uma História Real" da comissão de carnaval formada por Fran Sergio, Ricardo Denis e Rosele Nicolau, a Acadêmicos de Santa Cruz fez um belíssimo desfile na Marquês de Sapucaí.

Com uma apresentação coesa e luxuosa, a escola fez frente à Estácio de Sá, até então a mais rica agremiação a desfilar na passarela do Samba.

O único ponto negativo da escola foi a queda de uma enorme pluma de um dos carros alegóricos bem em frente à cabine dos jurados, o que pode significar a perda de pontos para a agremiação.

Ainda assim, a escola é uma das mais fortes candidatas, até o momento, de uma vaga no Grupo Especial.

Santa Cruz faz bom desfile e entra na briga pelo título

Fonte: O Dia na Folia - 03/02/2008

A Acadêmicos de Santa Cruz foi a que melhor utilizou os R$ 500 mil de patrocínio da Prefeitura do Rio para desenvolver o enredo sobre os 200 anos da chegada da Família Real ao Brasil. Sétima escola da noite, a verde-e-branco apresentou alegorias com bons acabamentos e de fácil leitura, desenvolvidos por uma comissão de carnaval.

No carro de som, o experiente David do Pandeiro fez a sua parte, mas não conseguiu contagiar parte dos integrantes. Muitas alas não cantaram o samba. O casal de mestre-sala e porta-bandeira, Eduardo e Cíntia, fez boa apresentação na frente dos jurados. Enquanto isso, a rainha Renata Santos mostrava sensualidade e samba no pé à frente da bateria.

 
Movimentação
Carnaval 2015
Faltam para o Carnaval de 2015!